Helena e Sónia

(...) Não há nada pior do que conhecermos um segredo alheio e não podermos ajudar(...) Eu até a compreendo. No meio deste aborrecimento insuportável, quando, em vez de pessoas,andam à nossa volta umas manchas cinzentas, quando só se ouvem banalidades, quando não fazem outra coisa senão comer ,beber, dormir,e de vez em quando chega ele, que não é parecido com os outros, charmoso,interessante...


Comentários

Manaças disse…
:)
pois é! déjà-vu. Que fixe!

"[O Álvaro] num dia manda-me flores, no outro diz-me que não quer compromissos. (...) talvez seja, também ele, um produto deste regime de indiferença a que chamamos post-modernidade, que parece aderir como uma luva ao longo hábito de languidez cultivado em Portugal.
Ele pratica a paixão como método de alheamento, porque considera que, observada ao microscópio, a natureza humana é repulsiva."
12 Mulheres e 1 cadela.

Saudades.
Mill disse…
não passamos de uns micróbios...
Mill disse…
saudadinhas